Home Relatos de Pescarias CÁCERES JUNHO 2016

Pesquise no site


Designed by:
CÁCERES JUNHO 2016 Imprimir E-mail
CÁCERES EM JUNHO - Relato sucinto - De volta de mais uma boa pescaria em Cáceres, no Mato Grosso, também lá percebemos algumas coisas típicas do Inverno brasileiro. A friagem subiu e se instalou naquela região, exigindo uma proteção maior na indumentária, principalmente durante a navegação das primeiras horas da manhã. Nada demais para nós, vindos do Sul, mas até o peixe pantaneiro ficou meio arredio. E sem esquecer nossos irmãos baianos e mineiros, que sofreram com o frio um pouco além do desejado. Depois, com o Sol a pino, tivemos dias de até 36 graus, próprios para animar os pescadores e a fauna toda.
O rio Paraguai está com seu nível baixo no trecho até a Estação Ecológica de Taiamã e, surpreendentemente, com bastante água a partir dela.
No primeiro dia de viagem do Barco-hotel IEIÉ, fomos à noite até onde possível navegar com segurança. Pernoitamos na região do rio Jauru. Assim que clareou o dia, navegamos pelo pior trecho de assoreamento, nas proximidades do Hotel Baizinha, onde encontramos a equipe do DNIT que fará a dragagem anual (atrasada, para variar...). Passado o gargalo, lançamos as lanchas na água e fomos batendo todos os poços até chegar à boca da Reserva. Até ali, não foi uma grande pescaria, o que nos inspirou a encarar uma travessia diurna daquele santuário ecológico, com possibilidade de avistar alguma Onça e, uma quase certeza - pelo testemunho do Comandante Carlos e dos Piloteiros, que lá pescaram na semana anterior - de uma boa pescaria além Reserva, na manhã seguinte.
Tivemos confirmadas as duas premissas, para alegria do povo. Foram filmadas e fotografadas duas Onças na passagem e a pescaria matutina do segundo dia foi de arromba: 10 peixes de medida, entre centenas de capturas. Isto só pela manhã. A considerar a cota atual, pela qual 16 pescadores podem trazer, no máximo, 16 exemplares. (além de 5 Kg. de peixes diversos, por pessoa). A partir dali, ficamos mais seletivos nos exemplares, até porque poucos pescadores trariam peixe para casa. A propósito, o quilo de excesso de bagagem custa R$ 26,00. Melhor comprar Atum, Garoupa ou Salmão aqui, fazer um molho de Camarão e ainda tomar um vinho importado. Sairá mais barato.
A partir da tarde, nova onda de frio se aproximava e os peixes ficaram manhosos.
Quando o calor forte voltou, foi outra boa pegada na linha de todos.
Tivemos resultados diretamente atrelados ao vai-e-vem da temperatura e, também, ao nível das águas.
Detalhe: Diferentemente da maioria, o Hermes e eu fizemos uma dupla com mais de 80% de pesca com iscas artificiais. Foi uma diversão encontrar cardumes de Cachorras-facão. Com certeza, ferramos mais de 250 exemplares e nosso maior prazer era vê-las escapando das artificiais, para poupar o trabalho do Piloteiro e podermos lançar novamente em cima daquele fervedouro. Lembrou muito nossa pesca de Anchovas, quando o bicho pega de qualquer jeito. Na pressa de capturar e soltar, meu parceiro deixou de levar a registro a maior Cachorra-facão do Pantanal: 80 cm e pesando 3,5 Kg. Atualmente, o Recorde Mundial na IGFA é de 2,1 kg. Os Dourados estavam no meio daqueles cardumes, mas não dava tempo para eles porque as Cachorras eram muito ágeis e vorazes. Mesmo assim, ferramos alguns bons Dourados e fizemos belo dublê numa boca de uma Lagoa bem rasa, onde as Cachorras não chegavam porque preferiam os poços de águas profundas e rápidas, onde os Trinta-réis mergulhavam avidamente, denunciando a existência de farta forragem, constituída de Lambaris, Piraputangas e outros peixinhos.
Nesta era de Smartphone, saiu muita foto de boa qualidade. Até uma Sucuri foi filmada enquanto triturava uma Garça. E as Vitórias-régias estavam dentro do rio Jauru, em vários lugares. Até o final da viagem, clicamos quatro Onças, duas Sucuris, centenas de Jacarés e de Capivaras, alguns Bugios e Ariranhas e muitas, muitas aves, de todos os tamanhos e cores. Coisa linda mesmo.
Interessante que, mesmo tendo navegado 220 km. desde Cáceres, à noite era possível ligar pela VIVO e alguns até conseguiam usar o WhatsApp. Pelo GPS, em linha reta, dava pouco mais de 70 km. daquela cidade.
Boa parte deste grupo esteve em 2015, porém com apenas 5 dias de navegação, o que impedia passar a Reserva. Com certeza, não se arrependeram de aumentar neste ano para 6 dias. E já estamos preparando a versão 2017...